sábado, 25 maio 2019
Início / Manutenção / Instalação elétrica tem validade?

Instalação elétrica tem validade?

Reforma em condomínios é sempre um assunto muito abordado, porém quando pensamos em reforma, já vem a ideia de pintura, mudança do revestimento da parede, troca do piso, teto, gesso, etc… Mas você já se perguntou ou parou para analisar como está sua instalação elétrica?

É difícil definir a vida útil de uma instalação elétrica, vai depender muito do tipo de instalação e como ela foi usada. Porém especialistas comentam que 15 a 20 anos, já podem deixar a mesma bastante defasada. Se olharmos 20 anos atrás, tínhamos TVs de 21” e chuveiros de potência próxima dos 2000W, hoje temos chuveiros eletrônicos com potências na casa dos 8000W, só nesse item, é possível verificar um aumento de 400% na potência e será que sua instalação está prevista para tanto aumento de carga?

Quem pode fazer essa análise e constatar qual a real situação de sua instalação é um profissional da área, um engenheiro eletricista ou um técnico experiente, os mesmos poderão olhar o dimensionamento e sua distribuição de carga, para verificar se uma intervenção mais ou menos significativa precisa ser aplicada.

No entanto, sua instalação costuma dar sinais que está sobrecarregada, cabos ou tomadas quentes, cheiro constante de plástico quente, disjuntor que desarma com facilidade, fusíveis queimando, são todos sintomas que uma intervenção urgente precisa ser realizada, pois além de um aumento no consumo, instalação elétrica com problema pode resultar em curto circuito e incêndio.

As normas brasileiras referentes a eletricidade também passaram por atualizações e o incremento de novos dispositivos visando a segurança e o bom funcionamento de instalações hoje se tornou obrigatório. Dispositivos como IDR (interruptor diferencial residual) que atua sempre que uma fuga de energia ocorre e evita o choque elétrico, passou a ser obrigatório em áreas úmidas e indispensável para proteção da vida. Crianças são curiosas e um garfo sendo colocado em uma tomada gera um terrível acidente, porém com esse dispositivo o desarme ocorre antes mesmo do choque ser sentido. Outro dispositivo que passou a ser obrigatório é o DPS (dispositivo de proteção contra surto), conhecido como para-raios eletrônico, esse dispositivo dissipa qualquer surto de energia, como uma queda de um raio ou uma oscilação brusca na rede, diretamente para o circuito de aterramento, evitando a queima de componentes e o risco de incêndio.

Os cabos elétricos assim como tudo em nosso planeta, se desgastam com o tempo, seu componente principal, o cobre, começa a oxidar e a dificultar a passagem de corrente elétrica, causando aquecimento e perdas de energia. Uma instalação nova sempre terá um consumo de energia menor, além disso quando pensamos em perdas elétricas, quanto mais distribuído forem os circuitos, menores serão as correntes e consequentemente as perdas. Hoje as instalações podem contar com entradas de energia trifásicas, onde as cargas podem ser facilmente distribuídas, garantindo conforto e qualidade de energia. O material isolante dos cabos, normalmente polímeros, se desgasta com o tempo, perdendo sua principal função que é o isolamento, expondo a parte viva e colocando em risco o seu bem mais importante, a vida.

Diante disso lhe pergunto. Sua casa está com as instalações elétricas atualizadas e seguras?

 

 

Gilmar Rafael Otto
Engenheiro Eletricista
CREA 128433-5

Verifique isso

A obrigatoriedade da realização de vistorias periódicas nas edificações

Desde 2008 temos em Balneário Camboriú – SC a Lei nº 2805, que obriga os …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.